Av. Amália Rodrigues n-190 ,1ªandar, loja E, 2785-613 Tires +351 21 130 0068
Artigo

Todos os atletas, sejam corredores amadores ou de alta competição, têm o desejo de melhorar a sua capacidade física para poderem ser mais competitivos ou simplesmente se superarem a si próprios. Um plano de treinos adequado é capaz de aumentar a resistência, velocidade e força, mas o problema surge com o aumento da exigência dos treinos, pois pode levar ao surgimento de lesões musculares e tendinosas, que podem mesmo impedir o atleta de continuar os seus treinos e competições durante algum tempo.

Quando um atleta aumenta a sua rotina de treino, quase sempre utiliza os músculos de forma exaustiva, causando stresse nos tecidos.” O excesso de treino e/ou a ausência de alongamento levam às dores musculares, muitas das vezes ignoradas pelos atletas, podendo mais tarde tornar-se crónicas ou em lesões graves.

A massagem desportiva surge assim como uma forma da encorajar os músculos a recuperar após o treino, porque alivia todas as tensões e ajuda a retirar o ácido láctico dos músculos. Assim, o sangue e o oxigénio conseguem voltar aos músculos a um ritmo normal e fazer uma reparação eficaz dos tecidos musculares, tornando-os mais fortes e resistentes.

Na verdade, a massagem é uma das mais antigas formas de terapia e um método fundamental no alívio de dor, relaxamento, estimulação e recuperação muscular, que a nível preventivo, terapêutico ou desportivo. Por sua vez, o desporto, quer a nível amador, quer a nível profissional, é reconhecido como uma actividade de extrema importância e tem vindo a ser praticado por um número crescente de amantes do exercício físico, da qualidade de vida e bem-estar.

Aliar os benefícios da massagem com os da corrida, e tendo em conta o objectivo de preparar, manter e recuperar os atletas para a prática desportiva, levou ao desenvolvimento de técnicas e metodologias específicas que resultaram na criação da Massagem Desportiva.

A Massagem Desportiva é composta por um conjunto de técnicas de manipulação das estruturas músculo-esqueléticas, mas com incidência particular em zonas corporais cruciais à actividade desportiva, adicionando características específicas reforçadas quer a nível da pressão exercida e da localização, velocidade de execução e intensidade, quer ainda recorrendo a mobilizações e alongamentos como complemento essencial.

Cada atleta e cada modalidade tem o seu ciclo próprio e a sua especificidade, nomeadamente quanto aos grupos musculares mais utilizados. Isto significa que a massagem deverá estar adaptada a cada caso.

Após o treino, exercícios de alongamento e diversos tipos de massagem e, inclusive, Acunpultura, são indicados para desactivar nódulos e evitar lesões, estimulando o sistema mecânico e neuromuscular.

A massagem desportiva deve ser considerada como actividade complementar à corrida, tornando-a tao importante quanto a alimentação e suplementação.

0